Semear - IBNPP

Buscando um Terreno Fértil

Marcos Capítulo 4 – NVI (Este texto também está em Lucas 8:1-15)

3 “Ouçam! O semeador saiu a semear.4 Enquanto lançava a semente, parte dela caiu à beira do caminho, e as aves vieram e a comeram.5 Parte dela caiu em terreno pedregoso, onde não havia muita terra; e logo brotou, porque a terra não era profunda. 6 Mas quando saiu o sol, as plantas se queimaram e secaram, porque não tinham raiz. 7 Outra parte caiu entre espinhos, que cresceram e sufocaram as plantas, de forma que ela não deu fruto. 8 Outra ainda caiu em boa terra, germinou,cresceu e deu boa colheita, a trinta, sessenta e até cem por um”.9 E acrescentou: “Aquele que tem ouvidos para ouvir, ouça!”
(…)14 O semeador semeia a palavra. 15 Algumas pessoas são como a semente à beira do caminho, onde a palavra é semeada. Logo que a ouvem, Satanás vem e retira a palavra nelas semeada.16 Outras, como a semente lançada em terreno pedregoso, ouvem a palavra e logo a recebem com alegria.17 Todavia, visto que não têm raiz em si mesmas, permanecem por pouco tempo. Quando surge alguma tribulação ou perseguição por causa da palavra, logo a abandonam.18 Outras ainda, como a semente lançada entre espinhos, ouvem a palavra;19 mas, quando chegam as preocupações desta vida, o engano das riquezas e os anseios por outras coisas sufocam a palavra, tornando-a infrutífera. 20 Outras pessoas são como a semente lançada em boa terra: ouvem a palavra, aceitam-na e dão uma colheita de trinta, sessenta e até cem por um”.
A Palavra de Deus para muitos é como um “Gelol”, correm para ela e aliviam os SINTOMAS, porém, sem atacar a RAIZ do sofrimento humano.
Jesus, ao comparar Sua Palavra com uma semente, trata daquilo que está escondido em nossas mentes, os sentimentos mais profundos, que nos definem e direcionam nossas atitudes.

Esta parábola se aplica a todo aquele que ouviu a Palavra de Deus. O Salmo 19 nos diz que “as suas palavras alcançam a terra toda.” (Salmo 19:4b). A grande maioria das pessoas, mesmo que não tenha prestado atenção, já recebeu uma semente da mensagem de Deus em seu coração e é sobre o aproveitamento desta semente que iremos falar hoje.

O que muda em cada uma das situações não é o SEMEADOR, que é Deus, nem a SEMENTE, que é a Palavra, mas sim o TERRENO, que é o coração daquele que recebe.

1. À BEIRA DO CAMINHO – A PALAVRA ROUBADA – FALTA DE CONSOLIDAÇÃO

Representa a falta de um compromisso PESSOAL com a mensagem. Quando ouvimos a Palavra de Deus e somos tocados para aquilo que ela quer produzir em nós, é esperada de nós uma atitude, uma reação.
Quem está “à beira do caminho”, é a que quer sempre o “melhor” dos dois mundos. Frequentar o ambiente cristão, porém ter sua alma desejando estar em um outro lugar.
Quem não se decide “pensa” que é livre, mas se torna escravo das circunstâncias ao seu redor, que não pode controlar e das consequências daquilo que faz.
Quem está à beira do caminho não é só aquele que não é cristão. Se não procuro compreender e aplicar os princípios da Bíblia em minha vida, ela não dá frutos nem resultados. Por isso que muitas pessoas vivem uma fase estagnada, pois não tomam a decisão de se aprofundar em Deus e conhecer a Sua vontade.
Há também aquelas que caem por causa dos bloqueios da vida:
“Isto que está sendo falado não se aplica a mim”
Autoimagem arrogante e visão limitada
São armadilhas que nossa mente gera, como uma autodefesa contra aquilo que é novo e diferente que a Palavra de Deus proporciona em nós

2. O TERRENO DURO – FALTA DE CURA
“Não tem raiz em si mesmo” (Mc 4:6)
Depende de “muletas”: se um parente, um amigo, um irmão da igreja não ficarem o tempo todo na cola desta pessoa, ela faz bobagens, destrói a própria vida e ainda culpa as pessoas ao seu redor pela falta de apoio e atenção.
Quem não tem raiz vive parasitando a energia e o tempo dos outros, impedindo a si mesmo e ao outro de crescer e florescer
Este terreno representa os desafios que enfrentamos ao abraçar uma vida com Deus. A dureza do coração é o ÚNICO limitador para que a Palavra de Deus opere em nós.
Assim como a semente abre espaço na terra, nossos VALORES têm que ceder.
A falta de perdão, o orgulho, ressecam a terra do nosso coração. Estes sentimentos não te impedem de brotar, ou seja, você vai ter uma vida, vai ter um ministério, vai ter uma família. Porém, a falta da raiz é a falta de vida, e tudo o que você fizer enquanto seu coração for duro, não irá prosperar.
Clamar por mudança é fácil, vemos diariamente vários pedidos de oração. A pessoa ouve uma ministração que toca seu coração e se compromete a fazer um monte de coisas para ser melhor para Deus. Mas é na hora das PROVAS, na hora das lutas, que sou realmente experimentado em minha fidelidade.

O versículo 5 usa a expressão “e logo brotou”. A pessoa de coração duro é imediatista, busca se satisfazer rapidamente com seus projetos materiais e até mesmo ministeriais.

SOLUÇÃO: Para vencermos este terreno, precisamos de cura espiritual. Existem por aí muitas teorias, mas o conceito mais simples e eficaz é: se eu não consigo lembrar de um fato sem sentir a dor do fato, então eu preciso de cura. Nossa memória irá armazenar o fato, mas a dor do sentimento ficará no passado, pois eu permiti que a ferida fosse curada por Deus.
Este terreno é vencido pela tribulação e só vence a luta quem tem um firme fundamento (Lucas 6:46-49)
3. O TERRENO DE ESPINHOS – FALTA DE LIBERTAÇÃO

Não é só de raiz que vive uma planta. As distrações roubam a nutrição e impedem o desenvolvimento.
Falta de libertação: Deus não habita em um coração dividido. A integridade é um valor que Deus não negocia. Ele nos dá a liberdade de vivermos como quisermos, mas não participa da vida daqueles que não tomam uma firme posição sobre o pecado.
Preocupações e ansiedade também são espinhos em nossas vidas. São sentimentos improdutivos, pois não resolveremos os problemas de forma mais eficiente se andarmos agoniados, estressados e ansiosos. Eles se tornam um pecado em nossas vidas quando deixamos de confiar em Deus. (I Samuel 15:23)
Os espinhos ocultam a LUZ. A luz simboliza a ordem e a sinceridade
ORDEM: A palavra hebraica para luz é “Or”, que tem a mesma raiz da palavra ordem (Aron), que é o nome da arca onde os judeus guardam suas preciosas cópias das Escrituras Sagradas. Este é o símbolo do Salmo 119:11, em que Davi declara que “escondi a Tua Palavra no meu coração, para não pecar contra Ti.”
SINCERIDADE: João faz um paralelo entre andar na luz e confessar pecados. Aquele que confessa pecados, traz à luz, ou seja, apresenta sinceramente a Deus as suas limitações e assume um compromisso de lutar para sair daquela situação. (1 João 1 e Provérbios 28:31)
“não amadurece” (Mc 4:7). O PECADO rouba nossa energia, nossa capacidade de nos desenvolver em Deus. Assim, a pessoa se torna uma pessoa com “tempo de fé”, mas sem sabedoria, mal formada, com suas atitudes incompatíveis com o tempo em que já conhece a Palavra de Deus.
Pecado é todo comportamento, pensamento e palavra que me tira do caminho de um bom relacionamento com Deus e com as pessoas. Confesse, determine e deixe tudo o que tem roubado seu tempo, alegria, paz. Você tem raiz, recebe nutrição, então vença aquilo que é exterior que tem te impedido de crescer em Deus. A pessoa nesta situação não morre, mas fica infrutífera, incapaz de gerar vida. Propostas “indecentes” teremos sempre, mas Jesus venceu o mundo para que possamos vencer também juntamente com Ele.
4. O TERRENO FÉRTIL

A pessoa que se assemelha a um terreno produtivo apresenta claramente três características, conforme o texto do Evangelho:

Ouve: Valoriza a Palavra de Deus e gasta tempo com ela. Aquele que não medita na Palavra de Deus perde tempo correndo atrás de revelações, profecias e não consegue discernir estas coisas através da Bíblia;
Aceita: Reconhece que é sujeito a falhas e toma posse do caráter de Deus impresso nas Escrituras. Por consequência, toma posse também de todas as Suas promessas e passa a viver uma vida plena, de comunhão com Deus e com os irmãos;
Dá fruto: Dar fruto é gerar um resultado visível, deixar nas pessoas uma percepção inegável de que Deus está fazendo algo no interior desta pessoa que está transbordando em suas palavras e atitudes.
OUVIR + ACEITAR = SEGUIR

ACEITAR + FRUTO = SERVIR

Não basta ouvir, tem que ser seguidor (discípulo) de Jesus e o verdadeiro discípulo é aquele que leva a vida de Deus para além de si mesmo.

 

O “aceitar” é pela fé. O frutificar é o investimento no crescimento. Jesus aponta o servir como o seguimento natural daquele que é verdadeiramente nascido de novo.
Cristão não pode ser como o trabalhador secular, com “tempo de carteira” e sim buscar a cada dia a oportunidade de realizar algo para o crescimento do Reino de Deus.
Para aquele que é uma terra fértil está tudo resolvido? NÃO! Resta algo muito importante, que é a VIGILÂNCIA.
A Bíblia fala sobre as “raposinhas”, que representam as pequenas ameaças que desprezamos e por isso abrimos nossa guarda para que aconteçam em nossas vidas:

Se eu não vigio meus passos, me coloco à beira do caminho
Se não perdôo, eu coração se torna duro
Se não venço o pecado, os espinhos vêm roubar o crescimento
Que sejamos todos terra fértil nas mãos do Senhor Jesus!

Pr Alan Cajueiro